Hospital aproveitou o Dia Internacional da Enfermagem para agradecer a dedicação dos colaboradores que estão na linha de frente do combate ao Covid-19

No Dia Internacional do Enfermeiro, 12 de maio, o ato de cuidar de outra pessoa ultrapassa o mero cumprimento do dever e é comemorado no Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin) com uma ação de reconhecimento. Um card especial foi desenvolvido para enaltecer a dedicação, o respeito e a grande dose de humanidade que cerca o dia a dia desses profissionais, que nessa época de combate ao Covid-19, estão na linha de frente do atendimento. O material circulou pelos grupos de Whatsapp e chegou a todos os enfermeiros com a mensagem de gratidão.

“É sempre bom ter motivos para comemorar, mas nesse dia 12 além de reconhecer o esforço e dedicação dos nossos enfermeiros aproveitamos para cumprimentar todos e levar uma mensagem de cuidado extra, afinal eles estão ao lado de médicos e técnicos de enfermagem combatendo um vírus que desafia os nossos recursos”, analisa Getro de Oliveira Pádua, diretor do Hutrin. Ele mesmo é um dos homenageados, já que enfermagem foi sua primeira formação na área de saúde.

Cuidar do outro

Os enfermeiros atuam na linha de frente dos hospitais, ao lado de médicos e técnicos de enfermagem. Além disso, acompanham procedimentos, cirurgias e a recuperação de pacientes. A solidariedade é sua especialidade, pois quem opta pela Enfermagem desenvolve habilidades que vão além da técnica. O enfermeiro também aprende a ter empatia e sensibilidade para cuidar integralmente do outro.

História

A data lembra e homenageia o nascimento da britânica Florence Nightingale uma pioneira da enfermagem moderna, que nasceu em 12 de maio de 1820. Nightingale foi uma jovem que se rebelou contra o papel submisso que as mulheres exerciam na sociedade de sua época, destinadas ao casamento e à maternidade. Por isso, ela se tornou enfermeira (profissão normalmente exercida por freiras). Ela se destacou por organizar e chefiar uma equipe de 38 enfermeiras voluntárias que partiram para o front da Guerra da Crimeia (1853-1856) onde tratavam dos soldados feridos.

Foi ela quem lutou para dar à atividade um caráter profissional, fundando a Escola de Enfermagem do Hospital St. Thomas, que depois receberia seu nome. Lá foram lançadas as bases do ensino de enfermagem. Assim, saíram as primeiras enfermeiras diplomadas.

Enfermagem no Brasil

No Brasil, entre 12 e 20 de maio, comemora-se a Semana da Enfermagem, que relembra outra mulher que se dedicou à mesma profissão, pioneiramente, em nossa terra: a baiana Ana Néri (Ana Justina Ferreira Néri). Nascida em 13 de dezembro de 1814, Néri morreu em 20 de maio de 1880. Foi uma mulher de posses, que deixou uma vida tranquila para servir voluntariamente como enfermeira na Guerra do Paraguai (1865-1870). Ela cuidou dos soldados brasileiros na frente de batalha.

Com informações do UOL e Wikipedia

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *